quarta-feira, 18 de março de 2015

E eu que já nem sei quem sou, o que busco.
Que já trapaciei todas as possíveis representações de mim mesma.
Não passo de um ser qualquer.
Não sou.

Nenhum comentário: