segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Nem sei porque a gente cresce tão rápido e vai descobrindo mais rápido ainda que cresceu. Que o tempo passou e que nada do que já foi tem volta. Tudo dito não tem volta. Tudo feito não tem volta. E me dizem que isso é a graça da vida. Se todos estivessem rindo, poderia acreditar um pouco nisso. Mas, o que vejo, são pessoas sorridentes, escondendo grandes tristezas, decepções, traumas. Seria grandiosamente belo poder dizer o que realmente sentimos e queremos sem magoar alguém. E seria grandiosamente mais belo não sentir a dor que nós mesmos causamos nos outros. Mas, a verdade é que somos crescidos. Somos adultos agora. Responsáveis por tudo o que acontece e não acontece. E escrevo apenas porque quero desabafar por todos esses momentos que não tem volta e que nos deixam com a estupenda sensação de perda, de fracasso. E essa não é a melhor sensação do mundo, acredite. E o pior é saber que eu sei qual é a graça de tudo isso. É não saber como nos filmes o que pode acontecer e encontrar beleza e estar surpresa com o que vai se mostrando na nossa frente. E é aí, que nosso adulto se perde, pois não tem controle do que pode acontecer. E somente a criança com sua simplicidade e verdade se surpreende e se deixa encantar com o que ainda não conhece. Só precisamos acordar mais vezes essa criança e deixar que ela se maravilhe com o mundo e encontre graça onde muitas vezes não encontramos.

Nenhum comentário: