sábado, 11 de julho de 2009

Nome

Como explicar qualquer sentimentalidade? Lutar contra? Amo, como ama o amor, já dizia Fernando Pessoa. Único, é o que sinto por você. Digo, com a mais pura sinceridade embora invente o contrário. Mas que nada, não sei mentir. Amo, e tenho orgulho de sentir o amor - se apossando de mim - na sua matéria bruta, lapidado, sôfrego, mas que não deixa de ser amor.

Um comentário:

tefinha disse...

"Fala-se: faltou-me espírito, faltou-me coragem; mas só se tem coragem perante quem se ama amando menos." (Stendhal)