quarta-feira, 23 de abril de 2008

LIBERDADE!


Uma vontade de gritar!
Foi o que senti ao atravessar a rua.
Gritar liberdade, liberdade. Gritar livre.
Já não sinto mais vontade de gritar.
E nem mesmo sei dizer porque senti.
Vontade dá e passa, é incrível.
Mas, enquanto atravessava - aquilo parecia ter sentido - e não fazia a minha vontade. Degustei minha própria inquietação, o amargo da língua, da vontade não saciada. Do arrependimento.
Eu sinto como se vivêssemos esperando viver. Com os braços aberto para o amanhã, para o mês que vem,o ano que vem ou qualquer dia lá na frente. Sempre lá na frente. Para tentarmor tentar fazer as mesmas coisas que não temos coragem para fazer hoje e agora.
Sem nos darmos conta que esse tão esperado e cogitado dia lá na frente pode não chegar. E poderia, poderia sim ser hoje.
É aí que tudo muda. Você começa a enxergar o óbvio.
Vontade dá e passa. Mas deve-se saber quais as que realmente fariam sentido na nossa vida. Sem deixar passar também as que fariam a diferença como um simples grito... "LIBERDADE"!

Nenhum comentário: